Sobre o projeto da História Não Publicada (A atrasada Novidade)

Bom, a atrasada notícia, e nem tão novidade assim, é que vou retomar um projeto que eu comecei no início do ano.

Esse projeto é um romance, assim como o Projeto Steamlesspunkless A, e seu nome oficial é “História não publicada”. No início, eu chamava assim apenas por falta de nome (embora antes tenha tido um nome aleatório que não me lembro), mas com o tempo começou a se encaixar com a história e minhas pretensões com o projeto em si.

Na verdade, falar em projeto é até estranho, porque no início foi apenas eu, assistindo um filme engraçadinho que tinha o Michael Cera, ficando com uma súbita vontade de escrever e então, acabando de ver o filme, bastante agoniado, escrevendo o que veio na minha cabeça. E, basicamente, História Não Publicada é isso. Um romance em que eu vou escrever o que bem entender.

Não é como se as coisas fossem aleatórias, não vai aparecer nenhum coelho gigante no meio da história, pelo menos, acho que não. Existe uma trama definida, mas o desenrolar dela vai ser todo ad hoc, sem planejamento, como costumo fazer. O que surgir, irei escrevendo e não vou pensar se aquilo fica interessante para a história ou para o momento. Vai ser o que vier.

No início, eu comecei a escrever História não Publicada sem ter isso em mente. Contudo, ainda assim, fazia isso. Eu sentava, escrevia o mais rápido possível e o que saísse estava lá. Escrevi 20.000 palavras e mais um pouco dessa forma e, embora olhando como um todo, eu ache que deveria mudar algumas coisas para ficar algo que eu julgasse aceitável ou mesmo publicável, isso iria trair a alma da obra.

Por que trair a alma da obra?

Bom, porque, no fim das contas, História Não Publicada é uma história que não é publicada. É como uma coisa meio metalinguística. O personagem principal é um escritor que está vivendo uma situação de terror/fantasia/ação e, não querendo perder o que tem diante de si, ele escreve. Escreve as coisas como ele vê, o que ele vai pensando. Ele não tem tempo para parar e refletir sobre o que está escrevendo, corre de algum perigo, de alguma coisa, respira, escreve e então corre de novo. Quando ele não escreve no momento em que as coisas estão acontecendo, tenta escrever a partir do que se lembra. Eu gostaria inclusive de manter os erros de português, mas acho que isso já seria demais e também falta de consideração, então erros de português (mas não de sintaxe, ambiguidade ou repetições), serão a única coisa que será editada.

É justamente para emular isso que estarei escrevendo sem parar, a primeira coisa que vier à minha cabeça. Tanto em matéria narrativa quanto em matéria de história. Usarei um programa chamado write or die, nele, estipularei um período de trinta minutos e uma meta de 600 palavras, então vou escrever sem parar. Se eu parar de escrever, a tela vai ficando vermelha e apagará o que já escrevi… Então, eu vou escrever provavelmente mais do que essas 600 palavras.

Vai ficar ruim? Provavelmente. Não posso assegurar a qualidade tanto do que será escrito quanto da história em geral. No entanto, como eu disse, essa é uma História Não Publicada. Ela não vai ser feita para ir parar em livros, é apenas um projeto literário, uma experiência para ver como as coisas sairão sob essas condições. Sinceramente, algumas das ideias que tive e que estão na estória são muito boas, se eu, depois de terminar, reescrevesse tendo em mente um livro para ser publicado, poderia fazer uma história foda. Mas nunca vou fazer isso. A história será o que ela tiver que ser. Por pior ou melhor que fique.

De qualquer forma, postarei toda a segunda-feira um pouco de História não publicada. A rigor, depois de postar o primeiro capítulo, postarei por volta de 600 palavras. Dessa forma, quando terminar as 20k palavras que já foram escritas, o ritmo se manterá.

Ao longo do texto existem inúmeras referâncias a coisas que me lembrei na hora, que inspiraram aquela passagem ou por motivo nenhum. Estou pensando se devo indicá-las ou não.

Acho que não, daria mais trabalho.

Bom, dada a notícia. Amanhã começo a postar.

Até mais, pessoal!

Renan Barcellos, que estava morrendo de fome

e  que já achou Kiew  no mapa uma vez.

Anúncios

5 comentários sobre “Sobre o projeto da História Não Publicada (A atrasada Novidade)

  1. Aloha História não publicada! Ficarei feliz em voltar a lê-la!!

    Sou altamente a favor de que coloques as referências! Pode ser passada uma semana, para que as pessoas que curtam procurá-las possam tentar encontrar sozinhas, mas acho que seria legal acrescentá-las, especialmente em se tratando de um projeto.
    Ah, se possível, gostaria que também fizesses comentários sobre o processo do projeto na medida em que ele se desenrola, técnicas usadas e tal…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s