Projeto A – Semana 13 e 14 – Personagens e Sentimentos

Essas duas semanas eu continuei com o plano. Revezei a prioridade entre avançar na história, escrevendo no caderno, e passar o que estava no caderno para o Word. Teoricamente, mas apenas teoricamente, para alcançar as 20.000 palavras que é minha nova meta, eu deveria ter escrito 10.000 palavras, mas isso acabou não acontecendo.

Bem, eu escrevi apenas umas 7.000 e poucas palavras no Word. Isso é quase a meta anterior de 9.000 palavras, mas nem metade na nova meta suprema. A escrita no caderno correu sem muitos contratempos, consegui manter o ritmo sem problemas adicionais. Acho que faltou umas duas paginas para alcançar a perfeição do objetivo, mas, sinceramente, eu estou trabalhando tanto que eu acho que posso me dar esse luxo (e se achar que foi pura preguiça, eu escrevi umas seis paginas de coisas extras, um conto, um poema e fiz o roteiro de 4 paginas de uma Hq que estou planejando com um colega). Acho que o ponto ruim de todo trabalho é o cansaço, mas isso eu posso agüentar. O outro é que não tive tempo para fazer uma resenha dos últimos livros que eu li (embora eu certamente não vá fazer uma de O Anticristo).

Porque são menos mainstream e tem fator cuteness tão grande quanto gatos.

Bom, sobre capítulos escritos, eu terminei os capítulos 13 e 14 e comecei a escrever o 17. Isso é um marco bem interessante porque eu terminei todos os capítulos dos dois grupos de personagens principais na primeira parte. O 17 é uma espécie de “extra” mostrando um pouco dos vilões, o 18 mostra coisas passadas e do 19 ao 22, é uma espécie de “interlúdio” que eu não considero pertencente a nenhuma das etapas do livro, mas que é absolutamente necessário. Para os que souberem do que estou falando, esses capítulos mostram os personagens na Taverna do Trapeixe.

Esse foi um período de bastante avanço para mim. Terminei um dos capítulos que julguei mais trabalhoso até agora (na verdade, tem cinco momentos no livro que julgo extremamente trabalhosos, e até agora passaram dois) e fiquei satisfeito com o resultado. A questão desse capítulo 13 é que eu tenho que mostrar uma luta e também um momento muito complicado de um personagem, mas sem que o ponto de vista dele seja tomado; tenho que mostrar as impressões de terceiros sobre o que se passa com ele. Devo dizer que foi complicado para mim porque em determinada parte eu fiquei com pena do personagem. Eu senti que eu estava escrevendo de modo distante, como se as palavras não tivessem “voz”. Visualizo as cenas com bastante movimento e sons, mas era como se essa fosse sem vida e sem barulho algum. Acho que o espírito do que estava acontecendo me afetou, não sei se vou conseguir passar esse sentimento para os leitores, mas ele certamente me atingiu.

Outra coisa interessante foi que eu percebi que tenho a personalidade dos protagonistas muito bem enraizada em minha cabeça. Notei isso porque percebi que sempre que alguém se comporta de certa forma que é típica de outro personagem, acabo usando o nome errado. Por exemplo, muitas vezes que alguém agiu de forma impulsiva, usei o nome de Rahne, que é, principalmente uma pavio curto.

Pelo menos em aparência, Rahne foi baseada ligeiramente em Liliana de Dragon Age. Só que com um expressão mais selvagem. Na verdade, foi baseado no artwork Leliana, mas é muito grande pra colocar aqui,

No momento, os principais problemas que tenho percebido é que dois personagens estão de certa forma parecidos. Eles tem uma história de vida completamente diferente, objetivos e motivações completamente dispares, mas o “modus operandi” é de certa forma semelhante. Acho que é um tipo de coisa que acontece muito na vida real, comportamentos que se repetem mesmo com backgrounds completamente diferentes e mesmo personalidade diferentes, no entanto, acho que em um livro, isso é um pouco errado. Na minha visão cada personagem tem que ser único em diversos níveis. Não que eu vá modificar como esses personagens são, mas vou tentar demonstrar as diferenças e mostrar diferentes aspectos deles. Além de trabalhar para apresentá-los de forma única.

No mais, o trabalho continua. Minha nova estimativa é de, se continuar neste ritmo, terminar em no máximo dez meses. No entanto, percebo cada vez mais que, não importando todo o planejamento anterior, ainda vou ter um trabalho bem grande na revisão. No entanto, não vai ser algo difícil ou complicado, apenas trabalhoso. Até agora nenhum pedaço da plot está “quebrado” pelo o que posso perceber, então a reescrita será apenas para mudar forma de apresentar algumas coisas, ajeitar períodos truncados, acrescentar alguns detalhes, retirar outros… Enfim, esse tipo de coisa. Somando tudo, espero ter a primeira versão final em no máximo 14 meses. A segunda versão final (porque obviamente vai acabar acontecendo), não tem nenhuma previsão.

Antes de ir, uma pergunta.

Bem, eu tenho feito posts a cada duas semanas com o progresso, porque falando do livro em si, teria pouca coisa para falar semanalmente. No entanto eu poderia estar semanalmente postando se eu falasse um pouco do progresso do worldbuilding, de que forma a leitura de livros tem afetado na escrita e um pouco de projetos paralelos. Eu me focaria no projeto Steamlesspunkless A, mas falaria de outras coisas também… Acham que vale a pena?

Período: 22 de outubro a 4 de novembro

Total de palavras no período: 7500

total de páginas no caderno: 217

Total de palavras no livro: 77.652

Renan Barcellos, Que estava faminto

e que  achava que Stormbringer é um título de respeito.

Anúncios

3 comentários sobre “Projeto A – Semana 13 e 14 – Personagens e Sentimentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s