Rotinas e Eu

Eu tenho um relacionamento curioso com rotinas. Não consigo produzir se não estiver dentro de um planejamento razoavelmente rigoroso e ao mesmo tempo fico chateado de estar repetindo o mesmo esquema vezes incontáveis.

Eu consigo escrever bastante quando consigo criar uma rotina de escrita. Teve um ano que eu escrevi mais de 200.000 palavras, divididas entre o livro-que-ainda-não-conclui-e-não-vai-sair-tão-cedo e contos pequenos e duas ou três noveletas (isso sem contar paginas e paginas de caderno de anotações) no entanto, cada dia é uma luta para eu conseguir estar dentro dos horários que separei para escrita (basicamente todos os horários livres, porque se não me distraio).

Então creio que, pelo menos no campo da escrita, essas rotinas são boas para mim. O problema é que elas não funcionam por muito tempo.

Depois de um tempo eu acabo me fazendo concessões como: ah, hoje não vou escrever, posso retomar no dia seguinte, preciso de uma folga. Mas eu sei que isso é uma armadilha. Se eu resolver sair do planejamento na terça-feira, digamos, vou acabar não fazendo nada a semana inteira e só voltar a trabalhar nos meus projetos na semana seguinte.

O problema é que com o tempo isso se torna mais freqüente. Começo a cada vez mais a boicotar meus próprios planejamentos e a sempre deixar para a semana que vem as coisas que eu deveria fazer no dia em questão. Vou postergando, postergando, até que minha rotina de produção (e também de leitura, e de assistir filmes, deixa de existir).

Quando chega nesse ponto, eu não paro 100% de escrever/ler/etc. Mas faço isso tão esporadicamente que não consigo realmente ter um progresso que mereça ser chamado dessa forma. Fico fazendo basicamente um monte de nada nos meu tempo livre. E esse nada vai passando por um mês, dois meses, três as vezes bem mais.

Mas aí chega um ponto em que eu começo a ficar irritado. Afinal de contas, eu deveria estar fazendo alguma coisa! As idéias anotadas no meu caderno não vão se escrever sozinhas e os livros na minha estante tampouco vão ler a si mesmos. E fico me sentindo culpado, sentindo que eu deveria estar fazendo alguma coisa. E esse sentimento de que deveria estar escrevendo se torna uma necessidade de escrever. E eu começo a pensar no que diabos eu vou fazer para voltar a escrever.

E a resposta, claro, é encontrar outra rotina.

Então eu monto outra rotina, que faça eu me focar, que faça eu me cansar e sigo nela. Cansado, mal-humorado, infeliz e antissocial, mas de alguma forma estranha satisfeito, continuo a escrever.

Não basta retornar ao que eu fazia antes, preciso me reinventar. Encontrar outra rotina que me prenda e me canse como a anterior fazia.

Atualmente eu tenho um monte de post-its colados na parede, cada um com cores e valores diferentes. No fim do mês preciso acumular pelo menos 500 pontos. Do contrário, o que faltou é convertido em dinheiro que preciso depositar na conta de uma amiga (ela comenta bastante por aqui até). Teoricamente ela tem que me devolver no mês seguinte caso eu consiga bater a meta de 500 pontos, mas dos três meses para cá que comecei a usar isso ainda não foi necessário depositar dinheiro para ela.

Esse esquema dos post-its tem me ajudado a fazer algumas coisas que preciso, mas não ajuda tanto na quesito dispersão e ritmo. Semana que vem tentarei montar novamente uma rotina que me faça ficar mais cansado, mau-humorado e infeliz. E que me faça escrever.

Ps: sim, voltei a postar do nada e talvez desvolte de postar igualmente do nada, quem sabe. Creio que escrever esse post faz parte da minha fase de estar irritado por não estar produzindo o suficiente.

Pps: publiquei uma noveletta com a Editora Buriti. Primeira publicação minha que tem meu nome na capa: http://editoraburiti.com.br/a-sorte-do-perdedor/

Renan Barcellos, que estava bebendo chá preto com vodka

e que tava num clima meio western

 

Anúncios

2 comentários sobre “Rotinas e Eu

  1. Rotinas, disciplina e seguir fazendo o que precisa ser feito. >.<'
    Ainda não masterizei essas técnicas. Talvez algumas pessoas funcionem melhor com rotinas do que outras. Talvez não seja uma coisa ruim precisar se reinventar de tempos em tempos. Eu preciso…

    O link pro livro não tava como link. ftfy :P

  2. Sei exatamente o que é isso. Algumas vezes eu quebro o meu ritmo de trabalho pensando algo como “Será que isso tudo que eu estou me esforçando pra fazer vai mesmo me ajudar em alguma coisa?” e ai acabo quebrando a rotina. Já tentei várias técnicas diferentes e infelizmente ainda não encontrei uma que me sirva 100%.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s