História Não Publicada – Capítulo 3 – Parte 4

Para entender melhor este projeto (sério, é importante!).

Leia o primeiro capítulo.

Não gosto do Resident Evil 4, mas Leon e os ganados foram uma referência que apareceu nessa parte.

No último capítulo o escritor começou a atirar, claro. Os dois revolveres disparando quase simultaneamente contra os oito que corriam em sua direção. Pensava se teria oito balas ou ainda menos do que isso. A cada tiro disparado seu braço ia para trás. Os cotovelos pregados na cintura, tentando resistir o recuo da maneira que podia com o seu treinamento em videogame nos fins de semana – tudo bem, na maioria dos dias. Blam, blam blam, diziam as armas, explodindo seu conteúdo cada vez que o gatilho era apertado – e não puxado. Era uma bala para cada um deles, tinha que acertar, precisava acertar. E errou a maioria dos tiros, as pessoas não atiram usando as duas mãos a toa e dois revolveres de uma vez só era mais coisa de exibicionismo do que duelos de verdade.

Cinco das balas passaram longe dos alvos. Indo se acomodar nas paredes do lugar ou então em alguma das caixas de madeira.  As duas primeiras, as que foram disparadas antes do coice das armas atrapalhar a porra acertaram alvos diferentes, na barriga, mas acertaram. A terceira acertou alguém  mas o escritor não teve tempo de perceber quem foi.

Continuar lendo

Projeto SteamlessPunkless A – Semana 16 – Fim do quarto mês de trabalho

Período de 12/11/12 a 18/11/12

Em relação ao projeto SteamlessPunkless, essa semana tudo correu bem. Talvez não exatamente bem, mas eu consegui manter-me na meta e cheguei a marca de 90.000 palavras. Acho que o maior problema foi que no meio da semana acabei sendo acometido pelo mal da preguiça e deixado pra passar depois as coisas para o PC. Acabou que sábado eu tinha ainda 5.000 palavras para passar do caderno para o Word. Podia ter feito 2.500 em cada dia, mas acabou que no domingo tive que passar 3.750.

Bom, eu consegui cumprir minha meta mensal de 20.000 palavras (na verdade perto disso, escrevi umas 100 a menos pra ficar próximo de um numero arrendondado e facilitar contagem) e sei lá quantas palavras no Word, mas ainda assim, senti que minha semana foi um pouco desperdiçada. A explicação é: O feriado.

Não que eu tenha viajado ou coisa do gênero, mas ficando em casa o dia todo, tendo mais tempo disponível, eu acabo desperdiçando esse tempo e faço MENOS do que eu faria se tivesse com um dia cheio. Acabou que não consegui me dedicar a projetos paralelos ou à escrita da resenha que eu tinha mencionado querer fazer. Acabei escrevendo 6 paginas a menos de caderno do que deveria… mas sinceramente, estou tão a frente no caderno do que no word que me deixou ter essa regalia… Ou seja, no caderno, virtualmente, escrevi bem mais de 20.000 palavras esse mês.

De qualquer forma, done is done. E a ultima semana não foi desprovida de coisas interessantes.

Porque papel velho é legal.

Continuar lendo

Projeto A – Semana 5 e 6 – O Caderno e o Computador

Como eu havia falado, voltei a escrever no caderno para só então passar tudo para o computador.

Em primeiro lugar, devo dizer que eu percebi que realmente gosto muito de escrever primeiro no papel. Na primeira semana de setembro não escrevi nada do projeto no computador. Todo dia quando chegava do estágio ia para o pátio do prédio e abria o caderno pra continuar com tudo. Pelo menos essa é a teoria.

Por enquanto o objetivo tem sido fazer uma semana de escrita em caderno e em seguida, uma semana de escrita em PC. Na primeira semana de setembro (de 3 a 7) escrevi apenas três dias e me forcei à meta de seis páginas de caderno por dia, uma margem que eu achava que faria com que eu mantivesse o ritmo.

Nessa semana, consegui terminar o capítulo 12 e começar o 15 (pra quem não lembra, estou pulando alguns capítulos para não esquecer certos detalhes). Logo antes de passar para o computador, percebi que havia um problema com o capítulo 12, ele era para ser pequeno e, da forma que eu havia escrito, ficaria com o dobro do tamanho que eu gostaria que tivesse (consequência de escrever no caderno primeiro?). No fim das contas, resolvi isso fácil, bastou tirar metade do capítulo. Coincidentemente, toda a parte onde acontece um combate entre dois personagens. Mas, ainda assim, acho que o capítulo cumpre seu papel. Em média, escrevi as tais seis páginas em duas horas.

Continuar lendo

O Projeto Steamlesspunkless “A”

Quando eu tive a idéia de começar um blog e consegui reunir energias para realmente fazê-lo, eu tinha como objetivo falar do mundo que estava criando e também do livro que iria escrever. A idéia era, quando eu começasse o livro, que toda semana falasse um pouco de como estava sendo o processo de escrita e as consequências de todo o preparo antecipado que eu fiz.

Portanto é com orgulho que venho dizer que… Eu já comecei a escrever o livro há três meses.

Bem, a maioria das pessoas que se preocupam em ler o blog já sabem disso, mas deve ter uma ou duas pessoas que não sabem e, com sorte, muitas pessoas futuras que precisarão saber. Meu plano era escrever resumos dos capítulos do início até o fim e desenvolver o grosso do mundo de Cmyvllaeth antes de começar de fato a escrita do livro.

Contudo, eu estava ficando ansioso e irritado. Eu tinha idéias e queria vê-las logo no papel, portanto, adiantei meus planos. Mas não pensem que fui logo direto ao pote, só fiz isso depois de um ano de planejamento e de ter o resumo de três quartos do livro. Para alguns, pode ser muito, para outros, pouco. No momento, para mim é um pouco menos do que o que eu consideraria o suficiente, mas estou me virando.

A quem estou enganando, não consigo escrever com bico de pena =(
(mas essa é uma tinteiro)

Continuar lendo