História Não Publicada – Capítulo 4 – Parte 4

Para entender melhor este projeto (sério, é importante!).

Leia o primeiro capítulo

As referências nesta parte são meio obscuras. A própria escolha da imagem é uma referência.

Em um grande clichê, anteriormente o Escritor se olhou no espelho e então sua aparência começou a ser descrita. Ele viu que sua barba estava espessa. O cabelo maior do que a muito tempo não deixava ficar. Tirou uma mexa que teimava em incomodar os olhos, por pouco não ultrapassando a altura destes e riu. Um riso estranho, descontrolado. Um clichê, pensava ele. Um muito utilizado. Um que usara em sua primeira história. Apresentar o personagem quando este olha para uma superfície reflexiva. Coisa de amador, mas usara, um dia. Qual era mesmo o nome do personagem? Mal se lembrava. Na verdade, sim, lembrava. Tão fresco na memória quanto qualquer coisa que tivesse feito segundos atrás. Mas não, não queria se lembrar do personagem de nome japonês. Não queria desenterrar o passado.

Arregalou os olhos e viu a imagem no espelho repetir o ato. Como deveria ser. Puxava as pálpebras para os lados, como se procurasse analisar o branco dos olhos. Mas era a íris e a pupila que mirava, ambas quase da mesma cor aquela distancia. Cansaço. Apenas cansaço, era o que via. Os olhos como os de um morto, como de alguém que perdera o espirito. Um riso se fez nos lábios, será que, afinal, não seria ele o possuído? Alguém que perdera o espirito, que tivera sua alma, seu eu tomado por forças maiores, forças além da compreensão humana?

Continuar lendo