Mini-Projeto: A Última Torre – Parte 10

“Sinopse”: Mini-projeto onde mostro passo a passo o desenvolvimento de um conto utilizando o método para “design” de histórias, snowflake. Mostrarei desde o primeiro passo, resumir a história em uma frase, até a escrita do conto propriamente dita.

Para entender sobre o projeto leia a primeira postagem.

Última parte do quinto passo do método snowflake. Desta vez, um resumo do ponto de vista de um dos vilões, Jequiá. Sendo este o ultimo personagem a ganhar uma “sinopse”.

=============================================================================

Iteração 5 – Parte 4

Assim que Revan roubou a chave da Última Torre de uma dos cofres da biblioteca, Jequiá ficou sabendo. Quando o ex-guardião tentou fugir, Jequiá soube para onde ele se dirigia. Já fazia tempo que Jequiá ouvia sussurros em sua mente, murmúrios de vozes cavernosas ou cristalinas, ele soube desde o início que era o Castelo quem falava com ele, que requisitava os seus serviços. Havia aguardado por muito tempo por uma grande tarefa, antes disso fazia apenas pequenos serviços para a entidade que abrigava a todos da Encruzilhada e, quando Revan roubou a biblioteca, recebeu a sua chance.

Continuar lendo

Mini-Projeto: A Última Torre – Parte 1

Aqui começa a primeira parte do Mini-Projeto A Última Torre, que é o nome provisório do conto que vou escrever (e que, na verdade, é nome do mini-conto que escrevi e no qual estou me baseando). Bom, como os posts serão diários ou na medida que eu for produzindo conteúdo relevante, tentarei fazê-los curtos. Não terão imagens. Tudo bem, podem ter imagens, mas este aqui não vai ter.

O primeiro passo do método snowflake, para o qual você pode conferir uma explicação aqui, consiste em resumir toda a história do romance – neste caso conto – em apenas uma sentença curta. Teoricamente, não se precisa saber nada de antemão, embora eu ache que isso não seja muito interessante. Segundo o autor do texto em que me baseei, esse resumo de uma sentença tem que funcionar como uma espécie de ferramenta que passe/venda a ideia da história que quer escrever em poucos segundos. Ele recomenda que tenha até quinze palavras e que não mencione nomes próprios. A questão dos nomes próprios é interessante, porque força a utilizar conceitos para os personagens.

Sem mais delongas, aqui vai.

Iteração 1

“Um Guardião desiludido busca descobrir se ainda existe algo além das muralhas do Castelo que devora o mundo”.

Ficou um pouco maior do que 15 palavras. Mas é justo, já que em português usamos mais conectivos.

Bom, a primeira etapa é só isso. O que acham, pessoal? Sugerem alguma mudança para a frase, para que ela tenha a mesma ideia, mas com menos palavras (não é algo que precisa ser feito, mas tentar talvez seja divertido)?

Renan Barcellos, que não tava bebendo nada

e lembrava dos bons tempos de Tony Hawks 2

A new Project appears!

Não é exatamente um projeto. Mas sim uma experiência. O fato é que eu tenho que escrever um conto para a antologia da editora 9Bravos. Bom, na verdade não tenho, mas sendo uma editora soteropolitana, coloquei em minha cabeça que sim, tenho, para prestigiar a iniciativa. Eu iria começar lá pro meio de dezembro, mas decidi fazer disso uma nova experiência, então vou começar logo.

Se você acompanha o meu blog, sabe que me baseei em um método chamado snowflake para organizar o meu primeiro livro, O Projeto SteamlessPunkless A, e se você não acompanha o blog, provavelmente não se importa.

O fato é que o snowflake é um método para se fazer design de romances. Ele auxilia o escritor a organizar as idéias e evitar pontas soltas, idéias mal planejadas em histórias grandes. Não cheguei a usar inteiramente em meu livro, mas parcialmente. Minha idéia para agora é tentar usar ele para um conto de até 9000 palavras (e se você me conhece, ele terá 9000 palavras) e ver o que sai disso. Provavelmente, terei que fazer algumas adaptações, mas ei, é uma experiência.

O método snowflake consiste em 10 passos que vão desde resumir a história em uma frase, passando por resumir os capítulos até começar a escrever o livro. Não passarei por todas as etapas porque não fariam sentido para um conto, mas ainda assim, devo chegar mais ou menos até a sete.

Dentro da proposta do blog, irei mostrar os passos e falar sobre o processo criativo. Amanhã (ou hoje mais tarde) devo começar com o primeiro passo. Eu já sei sobre o que irei escrever, será baseado em um conto curto que escrevi para a fábrica dos sonhos, com o tema Torre, na verdade, uma extensão dele. Não sei se vai ser aceito ou não na antologia, até porque a minha ideia é me inspirar em “À Procura de Kadath” do H.P Lovecraft, e isso significa que não terá diálogo nenhum e, em geral, um pouco chato para a maioria das pessoas. Não sei se serei bem sucedido, mas tenho que tentar.

O prazo para entrega do conto é até dia 10, então, é a minha meta. Vou tentar fazer algo diferente e fazer comentários dia-a-dia sobre como está sendo o processo da escrita e “design” do conto.

Como meu tempo não é infinito, essa atividade tomará o lugar da escrita do longevo conto de terror pseudo lovecraftiano e do worldbuilding de Cmyvllaeth. Não vou deixar de escrever esses dois, mas será nas horas vagas agora, não algo “oficial” que irei me preocupar.

Renan Barcellos, que bebia agua

e que também tinha algumas vinganças por fazer