História Não Publicada – Capítulo 5 – Parte 1

Para entender melhor este projeto (sério, é importante!).

Leia o primeiro capítulo

 

Protection from what?
Protection from what?

 

O escritor se perguntou por que diabos foram para aquele lugar. Só tinha uma saída, só tinha uma entrada. Não era o melhor lugar pra se ir. Caralho, ele tinha lido tudo o que é de zumbi que encontrara pela frente. Jogara vários jogos também. Até assistira Romero, dia, noite madrugada, a porra toda. Não que aquilo fosse realmente um zumbi, um possuído, repetiu para si mesmo. Sim possuído. No entanto fosse o que fosse, estava entrando no galpão, com seis de seus melhores amigos. Pensou em pokemon. Pensou em como sair dali. Mas seu cérebro estava em pane, eles taparam a única saída. Porra, sabia que iria se arrepender daquela merda.

Os possuídos entraram a passos lentos, como que olhando o lugar. Quase farejando. Procurando suas vítimas. Estava escuro, eles não enxergavam no breu, isso era bom. Sem visão noturna, sem bolas de fogo, pelo menos era mais fácil que Doom.

Continuar lendo

História Não Publicada – Capítulo 4 – Parte 6

Para entender melhor este projeto (sério, é importante!).

Leia o primeiro capítulo

Uma imagem de Tolkien, pois a alternativa era uma de Yuri

 

Emílio, no entanto, não pareceu notar a falta de interesse claramente aparente. Talvez não fosse algo complicado. Cansaço, solidão e medo fazem as pessoas ouvirem o que querem… ou algo completamente oposto ao que gostariam.

No entanto, Emílio carecia de companhia. Talvez de atenção. Ou, pelo menos, era isso o que o escritor imaginou naquele momento. E anotou em seu caderno.

– Não tenho nenhuma aqui comigo, quer dizer, claro que tenho várias na cabeça. Té umas que nem mostrei pra galera… – pareceu que iria contar algo que guardara para si, mesmo diante de seus amigos, de seus círculos. Pareceu que mostraria um pedaço de sua alma. – Ah, deixa para lá… To afim de pensar em música agora não. Porra, como você pode pensar em música numa hora dessa?

– Eu sou um escritor, você um músico. Eu penso em histórias o tempo todo. O que as vezes envolve pensar em música também. Mas se você é o que diz ser. Um criador de algo, certamente algo seu atravessou sua consciência mesmo nestes momentos em que o perigo é eminente.

Continuar lendo