Mini-Projeto: A Última Torre – Parte 2

Para entender sobre este projeto leia sua apresentação.

A segunda parte desta série de posts corresponde ao segundo passo do snowflake. Pode parecer uma coisa óbvia, mas conforme as coisas forem ficando maiores e mais complexas, isso provavelmente não vai acontecer. De acordo com o que consigo ver adiante, o próximo post já não trará a terceira etapa do snowflake completa.

Em sua segunda etapa, o snowflake (pelo menos a versão por mim utilizada, encontrada aqui), pede que se faça uma expansão da frase feita no primeiro passo. O autor do texto fala que deve ter por volta de cinco sentenças, com a primeira contendo um setup inicial, para ambientar, e as posteriores resumindo “partes” da história. Ele comenta que gosta de colocar desastres em cada uma delas, mas em minha opinião isso serviria apenas para uma história feita por cliffhanger e acho que o que estou escrevendo não vai ser assim. Em geral, o autor do texto não comete o erro de dizer como deve ser dividido, ele apenas sugere e inclusive fala sobre uma alternativa.

Então, em vez de me basear em “desastres”, meu parágrafo será justamente o contrário, mostrará conquistas que o personagem irá conseguir e as novas dificuldades que surgirem.

Iteração 2

Tendo vivido quase toda sua vida no Castelo que devora o mundo, um dos guardiões da Biblioteca da Encruzilhada dedica seus últimos dias a encontrar a Última Torre. Fugitivo, sua primeira dificuldade é escapar dos que querem puni-lo por trair seu posto, mas consegue escapar pelos túneis labirínticos. Saindo por uma passagem secreta a partir de um esgoto, o ex guardião encontra um perigoso pântano que foi absorvido pelo castelo e só consegue escapar devido à ajuda de uma estranha moradora daquela região. Na última parte da história, depois de enfrentar um agente do Castelo – um antigo conhecido seu – na única ponte para a última torre, o guardião ainda precisa desafiar a própria força de vontade do Castelo, antes de alcançar seu objetivo final. E morrer.

Não são exatamente cinco sentenças, mas acho que está bom. Engraçado é que os efeitos do snowflake já começam a se mostrar. Mesmo tendo um pequeno esboço da história em mente, acrescentei coisas/tomei decisões nessa etapa. E, como podem ver, a idéia inicial se expandiu bastante.

Imagino que escrever esse parágrafo deva ser uma tarefa bem grande quando não se tem idéia geral da história e quando for realmente para um romance. Acho quase utópico o autor do texto original dizer que em uma hora dá pra fazer.

Pra não me alongar muito, acabo aqui o post. Começo o passo 3 amanhã =) Devo fazer também um documento com todos os passos reunidos.

Renan Barcellos, Que descobriu que tinha coca!

E tava ouvindo música hobbit do nightwish

Mini-Projeto: A Última Torre – Parte 1

Aqui começa a primeira parte do Mini-Projeto A Última Torre, que é o nome provisório do conto que vou escrever (e que, na verdade, é nome do mini-conto que escrevi e no qual estou me baseando). Bom, como os posts serão diários ou na medida que eu for produzindo conteúdo relevante, tentarei fazê-los curtos. Não terão imagens. Tudo bem, podem ter imagens, mas este aqui não vai ter.

O primeiro passo do método snowflake, para o qual você pode conferir uma explicação aqui, consiste em resumir toda a história do romance – neste caso conto – em apenas uma sentença curta. Teoricamente, não se precisa saber nada de antemão, embora eu ache que isso não seja muito interessante. Segundo o autor do texto em que me baseei, esse resumo de uma sentença tem que funcionar como uma espécie de ferramenta que passe/venda a ideia da história que quer escrever em poucos segundos. Ele recomenda que tenha até quinze palavras e que não mencione nomes próprios. A questão dos nomes próprios é interessante, porque força a utilizar conceitos para os personagens.

Sem mais delongas, aqui vai.

Iteração 1

“Um Guardião desiludido busca descobrir se ainda existe algo além das muralhas do Castelo que devora o mundo”.

Ficou um pouco maior do que 15 palavras. Mas é justo, já que em português usamos mais conectivos.

Bom, a primeira etapa é só isso. O que acham, pessoal? Sugerem alguma mudança para a frase, para que ela tenha a mesma ideia, mas com menos palavras (não é algo que precisa ser feito, mas tentar talvez seja divertido)?

Renan Barcellos, que não tava bebendo nada

e lembrava dos bons tempos de Tony Hawks 2