Coisas que me inspiram – “The Impresario” do Final Fantasy VI: Balance and Ruin

Resolvi falar de vez em quando sobre coisas que têm me inspirado. Não tenho nenhum motivo muito além de que eu estava afim de fazer isso porque, afinal, eu uso o blog para escrever sobre como anda minhas pretensões literárias e afins.

Em todo caso, vou falar de uma música que tenho ouvido bastante e é remix de parte da Ost de Final Fantasy VI. Ela se chama The Impresario (e está nesse link).

Eu sempre gostei muito de Final Fantasy VI. Mais do que Mario, Megaman, Zelda ou outros, esse foi o jogo que mais joguei em minha infância e que mais joguei. Mesmo não entendo a história por não manjar dos inglês aos sete anos, e também não saber escolher direito qual melhor equipamento para os personagens, eu jogava quando podia e – na maioria das vezes – assistia meu primo mais velho jogando. Depois de um tempo, passei a conseguir jogar sozinho e já devo ter zerado umas cinco vezes. Então, é um jogo que tenho na mais alta conta.

Artwork oficial de Final Fantasy VI. Magitek rlz
Artwork oficial de Final Fantasy VI. Magitek rlz

Continuar lendo

História Não Publicada – Capítulo 4 – Parte 5

Para entender melhor este projeto (sério, é importante!).

Leia o primeiro capítulo

 

Commala come Ka. Porque referencias à Torre Negra e ao Ka-tet de Roland nunca são o bastante.

– Tudo isso foi sua culpa, no final. O que eu fiz apenas seguiu seus torpes esquemas. Mas se é para eu estar dentro de uma história, se você fez com que eu chegasse até, vou chegar até o final… Hugin. – disse o Escritor algumas semanas atrás, citando alguém que jamais seria visto nesta história.

Rugiu em um tom rasgado e que foi ouvido apenas para ele. Antes de se virar e sair do banheiro, teve a impressão de que sua imagem no espelho mudara o seu semblante. Que sorrira em franco desafio. Mas, como sempre, não passara de uma impressão. Ou talvez, no fundo, um desejo.

– Maldita boa memória. – Disse quando chegou até a sala principal do pequeno galpão. Não via Emílio, obra da escuridão que os protegia, mas ele atacava um dos pacotes de Cheetos.

– O que?

Continuar lendo